quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Alertem a todos que o homem que eu era... Voltou.

Acreditei ter disseminado minhas frustrações, ilusão de um pobre sonhador.. Isso não existe. Sempre falta algo. Hoje, após algumas eternidades e invernos, decidi reabrir o baú da minha cabeça e escrever um desabafo novamente.

Não sei onde foi parar a Clarice, a Hilda, o velho e mágico Caio Fernando, sumiram das minhas vistas, evaporaram das minhas mãos e foram esquecidos na minha mente. Sei que estão aqui, em algum canto, em algum lugar, perdido em alguma rua aqui dentro de mim. Me obrigo a reencontra-los.

As minhas esperanças foram postas a pó e meus sonhos reduzidos a vento. Desacreditei de mim. Meu choro já não lava mais, esqueci como é estar bem, como é ser bem. Me perdi em algum lugar e não consigo mais me encontrar. Onde errei? Não me lembro onde foi que minha vida se perdeu... O que eu queria da vida, se perdeu. O que foi feito do pouco de vida que acreditei? Abro hoje as interrogações para saber onde eu preciso responder.

Falo por acreditar.. Que outras manhãs plenas de sol e de luz, retornaram... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário