quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Sua chegada.

Se danem o evangelho e todos os benditos e divinos orixás, se ainda sim negarem que a felicidade estar ao lado teu. Chegou de mansinho, conquistando espaço, serviria pra fazer música de pagode mela-cueca, eu triste, cabisbaixo, sem expectativa de um novo querer, de um novo bem querer e me aparece o bendito homem do portão alaranjado, faz valer a pena ter conquistado o amor da cachorra, o jazz, o samba do Francisco de Hollanda, ter comprado cd's novos, consertado a vitrola, trocado a água do pássaro, a regado os girassóis, voltou a felicidade, você surgiu trazendo cor, cores e nuances na minha terra sombria.

Marcas forçadas.

Pisei com cautela em alguns corações, empurrei a porta em outros, pulei a janelas em alguns mais, nunca parei. Furtei de alguns o gosto por Jazz, por cachorros e gatos, por cores, por artes, por músicas, por sorrisos, por sentimentos, por infinitas bondades e aprendi em outros palavras, maldades, rituais, saberes, cuidados, um tanto de sinceridade e um quê de auto proteção. Esmaguei a maioria deles e não me arrependo, eles se mantiveram fortes, também furtaram coisas, palavras, desejos, sonhos e sentimentos e depositaram somente dores e desconfianças. Falaram, julgaram, contemplaram que eu uma certa manhã ganharia uma pessoa que eu saberia como utilizar todas os furtos, conheceria e ensinaria rituais do mais alto escalão misticos, acreditaria em cada palavra que saísse de tal boca. Da sua boca. E acredito e ensino e quero.


Frissons.

Seus lábios bem desenhados, seus olhos morenos ainda me fazem sentir calafrios, rebuliços. O seu signo nunca está em compatibilidade com o meu, mas se ainda sim negaram que você me espera e eu te espero ou vice e versa eu digo pros quatro, ou sete, cantos do mundo: ''dane-se os astros, os búzios, os signos, ciganas, tarôs, dane-se o evangelho e os orixás, dane-se o Karma, dane-se.'' Serás o meu bem querer maior, serás a minha paz. De qualquer forma, jeito, gesto ou modo você será meu ponto de força exterior, minha aniquilação do horripilante mundo, pisarei nas nuvens quando meus dedos entrelaçados aos seus estiverem, serei eu e você, você e eu, eu ou você? Seremos o nós.