quinta-feira, 7 de julho de 2011

Única crise.

"Socorro, alguma alma, mesmo que penada. Me entregue suas penas."

E por vezes, muitas vezes, eu tentei.

- Eu sentei na varanda, estava bem frio, então me veio a lembrança da viagem a Mykonos... Que lugar lindo. Mas, logo desejei que passa-se, preferi não pensar de quando estavas comigo, acho melhor. Tá, é besteira eu sei, mas, é como eu me vejo livre de você, livre da tentação que é você pra mim. Acho melhor encerrar essa conversa comigo mesmo, está ficando chato. 
- Ué, não fuja de tais assuntos que tanto te afligem - Disse o eu-lirico que conservo em mim.- Se tem uma dor, tente curá-la, não se faz uma operação sem mexer na ferida. 
- É, meu caro, mas, não se faz uma operação sem a anestesia. E, não tenho mais meus remédios de dormir.
- Não é dormindo que se resolve nada, é acordado, muito bem acordado.
- Tá, não quero continuar com o assunto... Acabou.

E tentou especular mais algumas coisas, não deu ouvidos. O assunto acabaria ali. E penso que seria bem melhor se tivesse nunca começado. Prossegui escrevendo alguns poemas, algumas cartas - que nunca serão entregue - e rir sozinho com lembranças. Mas, acabei por percebendo de que nada valeu a vida, os amores, os risos, os choros, de nada valeu nada. E sei que poucas pessoas entendem o que eu escrevo, e muitas fingem que entendem, acabado por assim dizer, que de todos os dias que eu vivi e revivi, nada será contato, a não ser pelas breves emoções dada em alguns momentos.  


Obs: * Frase entra aspas é de uma música, do artista Arnaldo Antunes. 
         * E nem eu mesmo, explicarei tal texto. 

domingo, 3 de julho de 2011

Sensação íntima.

Não é amor, talvez obseção, talvez masoquismo. 
É pior que o amor, é pior que a beleza que o amor traz. É estranho, é indeciso, é feio.
Uma coisa que só foi aumentando, igual a uma bolha, só cresce.
Faz muito mal a mim, muito mal a nós, eu tenho você aqui, no meu colo, nos meus braços - nos meus pensamentos sempre - mas, não é o que eu quero.
Eu quero paz, amor, poesias, com ou sem você.
Eu quero que você me queira, cansei de sofrer, talvez seja essa a verdade.
Tive muitos amores, mas nenhum deles foram igual a você, nenhum.
Você ou o meu amor por você - não sei direito - é diferente, é um mal que me faz levantar da cama, que me faz chorar, rir do meu choro e chorar novamente. Como uma roda. Nunca para, nunca.