segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Você.

Você desfoca, sai do tom, se perde e não vê que a confusão começa dentro de você. Disfarça, acha graça, desmonta e sorri não aguenta o peso dessa máscara que esconde você! Carrega o mundo e não vê que ser feliz é viver o presente e deixar fluir o que sente e não se importar com que os outros pensam que você é. Quem é você? Você que é tão sensata,tão cheia de si, sempre fazendo festa e se sentindo tão só. Você que sempre agrada e sem perceber insiste em seguir um caminho que não é você! Carrega o mundo e não vê que ser. Sai do quarto. Passa da porta e vai. Deixa o mundo ver. Sai do quarto passa da porta e vai. Quem sabe você? Entrega pro mundo e vê, que ser feliz é viver o presente e deixar fluir o que sente e não se importar com que os outros pensam que você é. Quem é você. Deixa o mundo ver.
                (Chicas.) 

domingo, 26 de dezembro de 2010

Pequena manhã.

Seis horas de uma manhã mórbida e fria, e eu bêbado pelos cantos da casa, feito uma alma perdida nas sombras de um ser que um dia uma luz fantástica teve. Sorrindo, meu sorriso morto, meu sorriso cruel. Sorri, olhei o céu lindo, cinzento como sempre admirei. Céu belo, cigarro a queimar, foi só isso que sempre sonhei a vida inteira. E as belas horas que passei a observar o lindo céu, até que o sol, ruim, maléfico, amante direto de uma lua esquecida, resolve tomar conta do lindo espetáculo. Chorão, um lindo céu chorão, devia me aparecer agora, mas não apareceu. Então voltei a minha cama e nada o que teria descrito aqui,  foi salvo. Nada.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Procura-se lucidez.

É fundamental que entendamos a vida como um sonho, não um sonho inventado, mas um sonho vivo, vivido e vívido. Um sonho que não é a visão de um insensato - num completo desconhecimento das coisas, mas um milagre de harmonia, de equilíbrio e de compreensão. Afinal, que outra finalidade teria a vida senão a de emprestar às pobres coisas desamparadas que somos o prazer da compreensão. Devemos tentar compreender sempre e mais profundamente, até poder aceitar tudo sem revolta. Compreender com a alma, com o coração, com os dedos, com os lábios, com tudo o que é dotado de sentido em nós. É necessário ativarmos a nossa percepção das pequenas e inúmeras almas antagônicas que nos constituem. Então viveremos um sonho, acordados e lúcidos, pois a realidade é um mistério cujo alfabeto jamais soletramos com inteira coerência.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Faça.

Ao deixar de fazer algo que queremos podemos estar jogando nossa chance de ser feliz ao vento. Uma dessas oportunidades que você deixa pra trás pode ser justamente aquela que mudaria a sua vida, aquela que faria você feliz. Não as deixe fugir. Não se deixe comandar pelo medo do que pode acontecer, ou pelo medo do que as pessoas irão achar, pois assim sendo, você nunca irá ser você mesmo, com opiniões próprias. Agir em função do que é mandado só lhe trará problemas. Não se impeça de encontrar a sua felicidade. Agarre sua chance de ser feliz e lute por ela. Se você quer, você consegue. Lute pelo que quer. Corra atrás de seus sonhos. Arrisque-se e busque o que precisa, então irá encontrá-lo, seja aonde for. E, se você cair, levante-se novamente e siga em frente.Ser feliz só depende de você.

Viva.

Se você reparar, as pessoas não são exatamente como gostariam de ser, são apenas um falso retrato da  sociedade, para poder se integrar a uma sociedade cheia de falsidade e mentiras, onde o status é tudo, onde a imagem que ela passa para as outras pessoas é mais importante que a satisfação pessoal. Será que essas pessoas vão chegar a uma satisfação pessoal sozinhas? Será que elas são capazes de ser felizes sem alguém lhe mostre como? Será? Nós fazemos a nossa parte, vivendo incansavelmente sem que alguém tente nos mostrar um caminho, sem que um ser imundo e sem cultura tente nos fazer pensar de outra forma, VIVA! Não ligue para as pessoas ao seu redor, elas não sabem viver. Elas não sabem aproveitar tudo o que há ao nosso redor sem que o dinheiro ou o status pessoal falem mais alto! Ouvindo essa música, eu me vejo em uma terra sem regras, sem leis, sem nada que nos faça viver um monotonia, um dia vamos chegar nessa terra e criar o nosso próprio mundo!

domingo, 5 de dezembro de 2010

É só mais uma história de amor.

Que eu me lembre bem, foi numa quarta ou quinta feira a noite, já te conheçia fazia um ano, mais foi nesse dia que eu te conheçi de verdade, todos os outros momentos sumiram, não importariam mais. E aquele final de semana seria melhor daquele ano, aquele ano que seria o mais especial pra boa parte de todos. Foi tão fascinante estar ao teu lado a todo tempo, sorrindo, chorando, brigando, abrançando. Mais o final de semana passou e pensei comigo: "junto a ele tudo vai embora". Estava eu, terrrivelmente enganado, aquele ali só seria o começo de "tudo". Foi tão mágico quando a "amizade" (De sua parte, confesso. Pois pra mim você é bem mais que isso.) começou . E em menos de um mês você já sabia de toda a minha vida, toda a minha história. E eu da sua. E com um certo tempo as piadinhas de amigos, começaram. Uma grande parcela de culpa é minha, admito. Eu só falava em você, o meu assunto era você. Era e ainda é. Confesso que bem maior hoje em dia. Os temiveis casos que você me conta, me deixa com tanta raiva, mais relevo (ou tento.). Como se tornou meu porto seguro? Me pergunto isso toda hora. E as piadinhas que sempre são sem graças, mais dou risadas do mesmo jeito. Passo um dia sem falar com você? O mundo para. Eu só queria um beijo seu e nada mais. E me perguntaram se eu já sabia suas fraquezas e você dá minha, eu simplismente respondi: Ainda não estamos na hora de saber as fraquezas um do outro. Ainda não.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Falsário.

Não é muito digno tirar conclusões, eu sei. Mas elas são minhas e com elas faço o que bem entendo. Até porque, falar sobre dignidade com você, é realmente complicado. Se falar a verdade pra você é sacrifício, ser digno
torna-se quase impossível, não é mesmo? Das conclusões que tirei, dos pensamentos que argumentei, tudo que é relacionado a você, mereceu ser colocado em último plano. Não, não adianta argumentar sobre conceitos de amizade. Você não passa perto disso e nem sabe o quanto significa coisa alguma. Lamento, não por você, é claro. Lamento pela nojeira que você é, e pelas pessoas que você polui com esse ar podre que deixa por onde passa. Sua falsidade não me contagia. Não se sinta importante. Comento sobre você aqui, não porque merece, e sim, como diriam os antigos e sábios, porque só se comenta sobre quem dá motivos. E você é um motivo abarrotado de argumentos sujos e nojentos. Sua 'falsa amizade' eu jogo no lixo, juntinho com todas os planos inválidos que você mirabolou para prejudicar a minha vida.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Antípodas.

Quero lhe fazer uma pergunta, mas responda com sinceridade. Você ama alguém? Jamais amou?
- Sim, mas…
- Não há mas. Quando se ama não existe mas.
- O mas é que posso amar outra pessoa também.
- Veja só…um menino de yeshivah e fala como um verdadeiro Don Juan. Quantas amantes teve até hoje?
- Só uma, Gina.
- Pelo menos é honesto, ou parece. Mark era mentiroso, um mentiroso horrível, patológico. Todo o tempo me escrevendo aquelas cartas ardentes – que chegavam a chiar entre meus dedos. Se as pessoas podem mentir tanto, a vida não vale nada. Você disse que estava interessado em escrever, e tudo mais. Por que as pessoas mentem tanto? Qual o motivo?
- O motivo é haver leis que são mentiras desde o começo. O seu Mark pode ter amado você e seis outras ao mesmo tempo. Não podia assinar um contrato para amar você a vida toda. Obviamente teve outras o tempo todo. Só me admiro de você não poder entender isso.
- Eu entendo, entendo, sim. Posso entender tudo – até cada ladrão, cada assassino, cada degenerado. Mas só posso amar uma pessoa. Desde o dia em que o encontrei amei só a ele, e todos os meus sonhos foram só com ele.
- Não é culpa dele se tem natureza diferente da sua.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Insanidade.

- Isso é uma prisão?
- Não. É um hospício.
- Eu não sou e nunca fui louca.
- Tem certeza?
- Claro, tenho cara de louca?
- Pra ser louca, precisa ter cara?
- Acho que sim, eu não sou louca.
- É o que todos dizem aqui.
- Está bem, então sou louca. O que é um louco?
- O que é um louco? Que pergunta mais besta.
- Me responda o que é um louco?
- Você não sabe o que é um louco?
Ela não tinha a menor idéia do que era um louco. Essa palavra era empregada de uma maneira, completamente anárquica: diziam, por exemplo, que certos artistas eram loucos, pois viviam de uma maneira insegura, inesperada, diferente de todos os outros "normais".
- Eu não sei o que é um louco. Mas eu não sou. Sou uma suicida fracassada.
- Louco é todo aquele ser que vive em seu próprio mundo. Como os esquizofrênicos, os psicopatas, os maniacos. Ou seja, pessoas que são diferentes das outras.
- Como você?
- Entrentando, você já deve ter ouvido falado em Eistein, dizendo que não havia tempo nem espaço, mas sim uma união dos dois. Ou dos Beatles, que fizeram uma música diferente e se vestiram como pessoas totalmente fora da sua época.Todas estas pessoas viviam em seu próprio mundo. E todas essas foram acusados de loucos.
- Você não parece louca.
- Mais sou, embora esteja sendo curada, pois  meu caso é simples. Quero e preciso continuar louca, vivendo minha vida da maneira que gosto e sonho, e não dá maneira que os outros desejam.
- Sabe o que existe no mundo lá fora?
- Pessoas que acham que são normais, por que todos fazem a mesma coisa. Vou fingir pra eles que também sou igual a eles.
- E quem será louco ou normal?


Inspirado no livro: Veronika decide morrer do escritor Paulo Coelho.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Fingimentos.

Hoje eu estava mesmo é com vontade de sair pelas ruas com um sorriso enorme estampado no rosto. Garantindo a mim mesmo que tudo estava bem (sendo que não é assim). Mas tem vezes que é tão gratificante enganarmos a nós mesmos... Tão simples. Fingir que nem me lembro mais. Queria ser como pele morta... Tocam, furam, provocam... E eu nunca os sentiria. Assim, indiferente. É difícil responder aos estímulos se você não tem mais um foco, se você não espera mais nada da vida. Destino é só uma desculpa idiota para deixar as coisas acontecerem em vez de fazer com que elas aconteçam (realmente). É tão estranho mas, no momento, só existe uma pessoa que me faz bem, e sim, é ele... Me faz tão bem que quando estamos longe só penso nele, só quero ele, só me refaço por ele... só sinto ele, seu cheiro, o seu abraço, o seu beijo, seu toque. É meio ignorante ou arrogante de minha parte, sei lá... Mas só permaneço onde estou por ele e acho que vai ser assim... Por um bom tempo.

Diálogos ou liberdade?

- Ela é tão livre que um dia será presa.
- Presa, por que?
- Por excesso de liberdade.
- Mas essa liberdade é inocente?
- É. Até mesmo ingênua.
- Então por que a prisão?
- Porque a liberdade ofende.

Intimidades

Um certo dia falei para mim mesmo que sairia por aquela porta e conheceria uma pessoa sem precisar procurar no meio da multidão. Uma pessoa que soubesse se aproximar sem ser evasiva ou que não se esforçasse tanto para parecer interessante. Uma pessoa de quem eu não quisesse fugir quando a intimidade derrubasse nossas máscaras, que segurasse minha mão e tocasse meu coração. Que não me prendesse, não me limitasse, não me mudasse, uma pessoa que me roubasse um beijo no meio de uma briga e me tirasse a razão sem que isso me ameaçasse. Que me dissesse que eu canto mal, que eu falo demais e que risse das vezes em que eu fosse o desastrado. Uma pessoa de quem eu não precisasse... Mas com quem eu quisesse estar sem motivo certo. Uma pessoa com qualidades e defeitos suportáveis, que fosse linda e tivesse olhos só para mim!  E assim eu não conseguiria olhar em outra direção. Que me encontrasse até quando eu tentasse desesperadamente me esconder do mundo. Eu falei que queria sair por aquela porta e conhecer uma pessoa imperfeita, mas feita pra mim... e foi exatamente o que aconteceu!

Borrões e Conversas

Está aqui o que uma caneta, uma folha, um assunto chato ao telefone e uma mente que não para quieta pode fazer. Rabiscos e mais rabiscos, olhares ao nada, tudo tão monótono.

Perguntas?

O meu levantar de confusões obscuras, obscenas, levantou hoje uma grande questão: Onde esses seres racional-mente irracionais vão parar? Eu odeio tanto essas questões filosóficas sem pé nem cabeça. Quem quer saber onde iremos parar? Eu não quero.

domingo, 7 de novembro de 2010

Nada é tão certo sem ele.

O sol já não nasce tão belo como nascia, o galo não canta mais na aurora como cantava, o vento não bate nas janelas como batia, nada mais está certo. Diga que é pra ele voltar, que sem ele eu não sou eu, sem ele nada está certo. E diga também que por ele , eu paro de fazer tudo, eu paro a minha obsecção de amor que tenho, eu não vou mais pedir nada em troca. Só dê esse recado a ele, ou pelo menos deixe na fenix morta dele, que por fim das cinzas volta.

sábado, 6 de novembro de 2010

Tempo

Contratos feitos com o tempo, pra nós não valeu de absolutamente nada, nada mesmo. O nosso amor, o nosso lindo amor, sumiu, esvair-seu pelo vento, o tempo é nosso maior inimigo meu bem, eu já tinha te falado isso. Era incontestável que isso um dia aconteceria, nada é pra sempre meu amor. Nada mesmo.

sábado, 30 de outubro de 2010

Caminhos

Estar aqui e andar na beirada do sol, com quem se gosta é sempre bom.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sistema.

Vamos ver sempre se temos o que fazer. Sempre temos que fazer o que o sistema nós prescreve! 

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Placas

eu gosto dos que tem fome. placas sem direção , me levam sempre as suas estradas de santos.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Bem aqui

Eu conto as sardas em sua pele. E sinto como se estivesse contando estrelas no céu. Meus dedos escorregam por elas, ligando os pontos imaginários de uma constelação de ferrugem; e eu vejo você se arrepiar; então, sorrio. Minhas mãos estão geladas, em contraste incrível a você, que está febril. É o mês de março, e estamos nos despedindo do verão. Mas mesmo assim eu ainda consigo ver um céu em seus olhos. E sempre há sol, sem nuvens.

E quando você diz as besteiras usuais que costuma chamar de conversa, eu não me importo nenhum pouco. Porque é engraçado como as coisas simplesmente são mais sinceras quando você fala, mesmo que seja a maior de todas as enganações.

E antes que eu perceba, você se torna um fato na minha vida – sem argumentos, apenas está ali.

[Algumas] Coisas que fazem meus olhos brilharem

# o sol batendo nas janelas no fim de tarde;
# sorrisos;
# crianças brincando com adultos;
# animais brincando;
# casais de velhinhos andando de mãos dadas;
# vitrines de livros;
# conversas estranhas no msn;
# e-mails de pessoas que não vejo há muito tempo;
# coisas antigas;
# pessoas que tem algum gosto bizarro igual ao meu;
# outono;
# sardas;
# chocolate. De todas as formas;
# mar, pedras e céu com nuvens brancas e gordinhas;
# filmes de guerra e amizade;
# fitas de cabelo;
# ilustrações;
# pessoas exóticas;
# All Star e coletes;
# mãos.

domingo, 24 de outubro de 2010

Contos de fadas.

A maldita da saudade bate a porta, ai você fica pensando: "será que tudo que fiz valeu mesmo à pena?". Não valeu é você sabe disso, meu amor. Eu só te pedi pra ficar mais um pouco, pois eu queria um feliz para sempre, mas foi quando fui pro salão da bruxa má, que percebi que não existem felizes para sempre, não existe cavalo branco, nada disso existe, o nos corremos atrás da nossa felicidade ou nunca seremos realmente feliz. É a vida, assim que ela foi feita.

sábado, 23 de outubro de 2010

renato r.

Você sorriu e disse: - eu gosto de você também.
Só que você foi embora cedo demais! Eu continuo aqui, meu trabalho e meus amigos, e me lembro de você em dias assim, dia de chuva, dia de sol... E o que sinto não sei dizer...


quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Será?

E dizem que na vida duas coisas são certas: o amor e morte! Serás verdade mesmo? Será que morrer não é deixar de amar ou vice e versa? Tantas perguntas sem resposta! Mais pra tudo a só uma resposta: Deixe o tempo correr, deixe o vento trazer o que mereces de verdade. Por que tantas perguntas, meu bem? Por que só assim eu saberei quem sou de verdade! Será mesmo? Quem saberá?

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Cores.

A como são lindos os momentos felizes, que somos consagrados a passar todos os dias, estar no tempo de melhorar a vida de um delinqüente do amor. As flores pela qual passam todos os dias, nem ao menos olha, veja que num lindo jardim de rosas (todas tem espinhos.), pode florescer a mais belas das tulipas. É bom dar um tempo, pro próprio tempo. E parece que a velha frase agora faz tantos efeitos: '' Entre o preto e o branco, há tantos nuances. ''

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

  Sei de tudo que me diz...       Por você eu falo libras em mandarim.
Em um jardim de mil rosas, todas com espinhos, floresce a tulipa mais bela de todas. 






domingo, 17 de outubro de 2010

Um pedaço de tudo que somos...      O pedaço de tudo que sou seu.

As cartas (que você me mandou e não li, confesso!) ainda estão em cima da cama, para que daqui a uns dez ou mais anos, eu possa ainda ter a breve lembrança que se amamos e que fomos felizes um com o outro. Mas que agora não passa de um passado sem fim, que a porta do tempo fechou. Do que eu tenho mais saudade (será que posso chamar de saudade?) é as das risadas na beira da cama, dos choros depois de uma briga feia, dos tapas na cozinha, das sujeiras que fazíamos quando íamos preparar brigadeiro, é disso que tenho saudade.

domingo, 10 de outubro de 2010

Cacos.

Cacos de amizades, cacos de amores , caco de você. Eu preciso te esqueçer, te querer ja não faz bem, você sumiu sem ao menos se importa comigo. Vai segue sua mente.

sábado, 9 de outubro de 2010

Acalento de uma noite.

Já não mais quero você, já não mais quero seu cheiro, vou andar por ai a procurar por pelo menos um, um amigo, um irmão, um ombro pra chorar, um beijo novo. Você já não mais me interessa, você se fez por desinteressante pra mim. Eu ainda te amo e não mais te espero. Um beijo doce e acalenta-dor.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Amor e Ódio .

O amor afirma, o ódio nega. Mas por cada afirmação há milhentas de negação. Assim o amor é pequeno em face do que se odeia. Vê se consegues que isso seja mentira. E terás chegado à verdade.

                                          vergílio ferreira .

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Desejos.

O libido é tão forte, tão forte, eu vou deitar sobre você e nunca mais sair. 

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Andanças.

O tempo não para, o mar não para, nada para, só vai passndo, cada momento passo como um flax, aproveite, só isso.
Estar aqui e não estar.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010


Se é pra viver instantemente, melhor viver só. Meio coringa, meio piêrrot sem um amor de uma colombina ou sem um naipe pra chamar de familia. Só precisamente só!

Beleza Jobim

No rádio tocando " E quando eu lhe telefonei, desliguei foi engano, o seu nome não sei,  esqueci no piano as bobagens de amor..." eu lembrei de você e da sua beleza tão angelical, tão doce, fui pro banho, coloqueibem levemnete as mãos na maçaneta do chuveiro, umas mãos tão angelicais, morenas. Ai que saudades de todos os momentos. Eu vou sair a noite, ir pra beira do cais e ver o dia amanhecer sozinho, só pra lembrar dos melhores momentos vividos com todos.  Ah (suspirando) jobim mais poeta que você ainda estar pra nascer.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Só se quiser.

Fique aqui, se quiser ficar comigo. Claro!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Queda.


Como num salto livre! Vou fugir de mim, dos meus pensamentos, de você, de tudo! Por um bom tempo, eu preciso ter um pouco de tempo, de colo de avó, de cheiro de terra molhada, de sair um pouco do mundo, vou ver se pulo pra fora do mundo materialista, narcisista (apesar de gostar muito desse mundo, confesso!). Esse mundo que eu escolhi pra viver, já não me faz bem. E quando bem eu estiver, talvez eu pense em voltar! 

Meias verdades.

A calmaria do mar, o vento no rosto, o passarinho cantando, andar de bicicleta na areia, dormir debaixo da sombra da arvore, ler um bom livro! Sim é isso que é bom pra mim. Mais só escuto promessas falsas, meias verdade e mentiras concretas, não quero isso! Não mesmo.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Os pensamentos confusos.

E com todo o coração rasgado, deslacerado. Você vem todo brando, pedindo colo. Não a sua chateação, a dualidade de amor. Claro, por tanto que me pague com um beijo! Não, precisa mais não!

Labirinto.

Parecem que são os únicos mortais da face da terra, que um dia vai abrir a terra ao meio. Cansei, me afastar de mim mesmo é fundamental, vá pro libido e tente sair do labirinto que é minha mente!

Narcisismo.

- Quer me amar?
- Claro que não!
- Por quê?
- Amar é um ato narcisista, que não confere a eu realçá-lo!
- Você acha que é isso que sinto por você?
- Claro.
- Então ta, tchau!
- Tchau!



terça-feira, 31 de agosto de 2010

Futuro.

Se não vencer no presente, não gostaras do que vem pela frente. A felicidade está em cada grão de areia. Felicidades é feita de momentos, juntando esses momentos todos na memória e terás a maior felicidade do mundo. 


Desde que ele foi embora, nada mais funcionou. O galo canta muito antes da aurora, e a roupa ainda não secou. Mesma lua que brilhava lá fora, uma nuvem de chuva apagou. O apito do guarda noturno assopra só pra me lembrar que acabou. O muro separa o mundo lá fora. A água do poço secou. O vidro embaça meus lábios encostam um beijo que não me tocou.

Diga que é pra ele voltar, que sem ele eu não faço nada bem, que duas pessoas não deixam de amar, que uma pessoa só não conta que uma pessoa só não é ninguém

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Metaforas Concretas.

Hoje de manhã eu esperei que você dissesse alguma coisa qualquer; um “bom-dia”, uma frase solta sem nexo, um boletim meteorológico. Qualquer coisa. Mas, só pra variar, você passou por mim calado.
São as páginas amarelas de uma história que nos une. Não é um objetivo, não é um desejo, não é um querer. Um punhado de palavras e pronto.
Enquanto eu espero uma atitude sua, o tempo passa.

Xadrez e Coca cola.

Eu bem que gostaria de perder o orgulho: aquela armadura que me protege e me engessa, que me mantém estagnada diante dos fatos.

sábado, 21 de agosto de 2010

Quando isso tudo vai mudar?

Pensamentos mais longe que uma nave espacial, o radio só uma velha canção: "e quando o inverno chegar", a noite desce e vem brindar junto a ti, olhe as chaves e diga que me ama! Não começa com as mentiras agora, deixa pro prazer! E quando o inverno chegar eu não quero nem saber.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

It's all I need.


Já não paro de pensar no momentos de tensão, nos momentos com você. Nos momentos mais frios, o calor chega em passos leves, românticos. O mundo já não é tão grande, quanto eu pensava, você é meu mundo, você é meu vício. Janelas se mexem, portas se abrem, pessoas perguntam, você aparece, o mundo para, tudo para, o tempo não anda, o calor sobe, o arrepio chega, e tudo some ao mesmo tempo, volta pra cá agora. Maçanetas tão brilhantes, quanto nosso amor.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Me abraçe.

Não veja se não me encanto com você, desejo meus braços tanto em você, não seja má menina, do um abraço, de um abraço, doce abraço em você.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Situações.

O tédio toma conta do ascente de hoje, o tédio daquele dia amargo, o que fazer? Você vai pra baladinha e pega um monte de pessoas e eu você nem liga pro meu sentimento.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Prisões.

Nunca as maçanetas foram tão brilhantes, as chaves nunca foram tão importantes pra mim, as fechaduras das janelas nunca me despertaram tanta atenção, eu nunca despertei atenção desse olhos famintos da rua, olham tanto como se eu fosse a pior pessoa, eu não sou, ainda. Não sou o único cego diante dos olhos do mundo, vejo tão mais do que as cores normais, entre o preto e branco há tantos nuances.

Casacos.

As tantas falanges do meu corpo, não me diz nada a não ser rubricas semi-postas, tenho tanto quanto meu corpo fala pra você cansar de me chatear, os casacos de pele não me esquentam mais, você não mais absorve meu amor. frio, gelido. Você esfriou em mim.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Paredes.

"Mas é você que ama o passado."

As janelas ruiram, as portas bateram, o coração apertou, eu chorei como uma criança sentado na casinha abaixo da escada e você riu da minha cara, como eu estou rindo de você agora. Como eu queria esse passado longe, bem longe do meu presente. Eu olhei pela fresta da porta e lá estava ele se arrumando pra sair, pra ficar bonito... tanto quanto é, confesso.
Mais se ainda fosse pra mim, não! É pra ele, pro outro, pra que? Só pra chamar atenção dele. A casa desmoronaria naquela hora pra mim. Você saiu, bateu a porta e me deixou. Venha como um roedor pro meus pés agora. Esqueça o passado que eu fiz parte, lembre sempre do futuro que virá, e nunca, nunca mais pense em mim.

" Minha dor é perceber, que apesar de termos, feito tudo, tudo, tudo o que fizemos. "

domingo, 11 de julho de 2010

Aspas.

Nós não temos nada em comum. A não ser as vontades estranhas de coisas estranhas. Quando te disse que era loucura, você riu. Sempre ria. Acho que é o teu jeito de demonstrar o quanto está inseguro. Uma sorte a tua eu gostar da tua risada. Acho que tua cara nunca me enganou. Nem teu jeito que todos diziam ser complexo. Você sempre foi um fraco, apenas um garotinho. Peixe pequeno esperando ser abocanhado. Mas o que eu ganharia estando ao teu lado? nada. A não ser aqueles sorrisos enviesados.

Radioativo.

Um motivo é tudo o que te peço. Nada das besteiras que você costuma falar só pra me enganar. Nada daquilo que você disse que falaria só pra me fazer feliz. Quero um motivo real e sincero. Mesmo sabendo que você não costuma treinar a sinceridade.

Deixe tuas palavras casuais pra uma outra hora. Deixe teus apelidos estranhos para um momento mais oportuno. Pare de me chamar se não há nada de novo pra me dizer. Eu cansei das velhas histórias.

Eu cansei de você. De novo.

Um outono passado.

- O amor é o ato supremo de doação.
- Eu sempre achei que o amor fosse um ato narcisista, onde você só escolhe amar a pessoa por aquilo que ama em si mesmo.
- É isso que você sente por mim?
- É.

Manequim.


São bonecos, fantoches, brinquedos. Meus desejos são os teus escravos, e só por ti é que eles continuam vivos.

Em tuas mãos são pequenos e inúteis, como grãos de areia na imensidão das praias. E mesmo assim você os retém, como reféns, como a prova de que não existe uma forma de continuar sem que seja ao seu lado.
Você tem o fio que me prende aqui. E tem a tesoura que pode cortá-lo. Já não é mais uma questão minha.

Pedaços de mim.

As janelas de minha alma estão quebradas. O vento que outrora apenas batia de encontro ao vidro, agora tem passagem livre; As cortinas vivem em eterno movimento, mascarando situações, criando sombras de sonhos, iludindo. Acho que não conseguirei entender a arte dos consertos; Nunca um coração partido foi remediado em minhas mãos, nunca um herói estilhaçado foi colado pedaço por pedaço, nenhuma nuvem de esperança diluída voltou a se condensar. Há, em algum lugar, um antídoto, um conserto, um remendo. Mas com certeza não faz parte de mim.

Ainda não.

O meu silêncio te incomodou, eu sei. E sei que minha imagem sonhadora não lhe deixou nenhuma outra alternativa a não ser a de se afastar. Eu posso mentir que foi o calor daquele dia - Estava mesmo quente, mas isso não passaria de uma falsa desculpa. Eu também posso dizer que foram os hormônios - E de certa forma, também estaria mentindo. Foi consciente. Eu quis me afastar de você porque a sua felicidade me parecia estranhamente fora de lugar, errada-mente gostosa e possivelmente profana. E eu não aguentaria mais nem um minuto olhando seu sorriso nostálgico. Eu não me aguentaria ai, entre o seu dia perfeito e a minha estranha filosofia mal acabada. Eu não conseguiria me conter, e provavelmente choraria diante da aberração que aquele momento me pareceu. E você certamente me perguntaria por que eu estava chorando e eu não conseguiria mentir e diria que era por sua causa. Daí, eu pegaria na sua mão - Ou pasme!, repousaria minha cabeça em seu peito - E deixaria toda a minha inconformidade sair em jorros bem pequeninos, molhando todo o meu rosto. E você ficaria aturdido; E eu, mortificada, e não seríamos nós dois, mesmo sendo, entende? Eu sei que meu silêncio te incomodou, mas certamente minha fraqueza te assustaria. e ainda não chegou a hora de nenhum de nós descobrir as fraquezas do outro. Ainda não.

Real.

Não sei qual é o real propósito de estarmos aqui. Simplesmente aceito a sua presença sem muitos questionamentos. Não me pergunto mais o que te motivou a falar comigo, ou o quanto foi realmente sem querer nossas conversas sem cabimento em lugares lotados. Sei que o que eu disse foi verdade; O que eu senti foi real; O que eu desejei foi possível.
 Então, eu não peço mais nada nesta nova vida, apenas que você continue sorrindo enquanto eu falo as baboseiras de sempre.

Lembranças, é só o que fica!


Quando você acorda e vê que nada está como era antes, você percebe que mudanças serão necessárias, algumas coisas terão de ser deixadas para trás para que outras possam ocupar o seu lugar. Algumas coisas são dolorosas demais de deixar, mais infelizmente são necessárias, ficaram as lembranças, memórias e saudade, aí você se dá conta que nada na vida é eterno, tudo finda e o que antes era certeza, se torna duvida e depois tende a desaparecer, sabemos que até esquecermos completamente demorará, ainda mais quando não queremos esquecer por completo. Se o ciclo parece ter chegado ao fim, cabe respeitar e se possível se ausentar, até que um dia tudo não passe de lembrança e você possa dizer : “Vivi com a maior intensidade que pude, mais uma só andorinha não faz verão!”

Pretério Imperfeito.


Abri o armário, estava uma bagunça (pra variar) e vi no fundo uma folha (aquela folha),peguei-a e vi o que tinha escrito e nela dizia: nunca vou te deixar, o nosso final feliz nós já fizemos. Onde? Quando? Com quem? Não me lembro do nosso final feliz, acho que nunca existiu, mais continuando... Então comecei a revirar o armário, encontrei tantas lembranças que hoje são tão frias, nada me pareceu estonteador, acho que mudei tanto, que as lembranças, o passado, já não se faz alegre, meu passado ele literalmente passou e eu não percebi, nem notei, não tenho saudades dele, ele foi muito importante pra me tornar o que sou hoje, mais de passado não vivo hoje. E o armário eu manterei fechado, pra quando, e se um dia, eu sentir saudade eu mergulhe lá.

Irrealidades.


Você não sente, não vê, o mundo é tão frio. Passei pela porta, e já começaram a me olhar como se eu fosse a pior pessoa do mundo, fui até a esquina e encontrei a chave da porta jogada ao chão. Foi você? Foi você que me quis pra sempre, por que pisa tanto em mim? Por que pisa nas minhas feridas abertas? Parem de me olhar com esses olhos de juízes. Não me condenem assim. E o chão onde esta?

Eu queria tanto minha mãe aqui, hoje é aniversário dela, e ela não esta aqui, ela esta em um lugar onde só eu posso vê-la.

sábado, 10 de julho de 2010

Cartomantes.

Já está escrito, já está previsto. nosso amor nada mais é surpresa, nada acontece, nada apareça, vamos mudar? Impossível, você ficou previsível, você ficou incorrigível. Cartomantes já sabem sua rotina, já sabem seu fazer de hoje. Mude. Simplesmente mude.

Tantas coisas.

E os porquê's permanecem aqui, intocáveis. Sem nenhum tipo de saída, de escapamento, surtar pode ser a melhor saída, já que é isso que as interrogações querem. Indecorosa; A saudade me evita viver ao seu lado, e você me impressiona aparecendo. O meu ver de longe, como quem tem a vida na agulha, saudade. e os porquê's permanecem.

Segredos e pessoas.

Quantos segredos que você guardava, hoje são bobos ninguém quer saber. Quantas pessoas que você amava, hoje acredita que amam você?

sexta-feira, 9 de julho de 2010

A sua voz.

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho, há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas.  Sumiu, como a nuvem some no ar, você sumiu, e agora pede pra voltar. engraçado. Por que disse então que não queria saber? Agora volta. Inútil. Deplorável essa sua carinha de anjo. Sujo, nojento. Não me vem com essas historias de poeminhas de cabeçeira não.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Angusiante.


Cansaço dos dias mais angustiosos, hoje o por do sol foi tão monótono, tão sem cor, eu sai pela a porta, ouvido a mesma musica de todos os dias, faço sempre as mesmas coisas, esta ficando tão chato, tão repetitivo, tão depressivo, parei em frente o mar e não vi a beleza que sempre me falaram quem tem, foi só o mar, tão parado, acho que eu e que estou monótono, tão chato, tão velho.
Ai, como eu queria você comigo, você é alegria do meu ser, tão incógnito aqui dentro, um sentimento sem explicação, sem sentido.

Horizonte.


Cansado de olhar pro horizonte e não ver nada além das coisas que eu vi a dez ou quinze anos atrás. Nada mudou, sempre vai continuar assim, cadê a tal mudança que tanto me falaram? é tão ridículo, olhar e ver que continuam as mesmas coisas, é tão poético o modo em que me falam que vão "mudar" o mundo, ninguém nunca muda nada, só falam, cadê a velha historia da palavra do homem vale mais que mil atos? Em que planeta é isso? CANSEI! Parei com o mundo, hoje pelo menos eu mudarei algo. O horizonte permanece tão horizontal, bonito ao mesmo tempo notório. Chato.

Subindo.


Na subida da vida, o importante é se deixar levar, não for tão fracassado, pode vencer, pode subir.
Tentar? Está ficando tão notório ao ver das pessoas.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Deixa eu dançar.

Dança a resposta da alma, minha alma te responde hoje, amanhã, e sempre, minha alma é nua, é fatal, é interessante, é leiga, minha alma é tão inocente que não sabe dançar, cantar, nem se divertir, minha alma sonha em ser uma estrela notória.

Tanto Caetano.


A razão é sempre o contrario do coração, por mais certa que for a razão, o coração é a chama do prazer, coração, razão? acho que perdemos a noção do nosso perigo constante, meu perigo, meu prazer, meu coração, minha razão, eu até agora procuro onde está;
Desde que você se foi, não acho mais. Volta de vez, ou vai embora pra sempre, nessa ida e vinda de sofrimento, não tá dando pra agüentar, ou eu vou desabar, ou vou me levantar sem você, sem ao menos olhar pra atrás.


Porque eu não posso mais sofrer.

domingo, 4 de julho de 2010

Desejos, tentações e amores.

Ter o que me resta, não passa de tentanções fracassadas de desejos, de amor, amor? O que o amor, pra que ele serve? Pra me fazer sofrer, chorar, eu prefiros os amores de uma noite, os amores de cama, os amores de tesão, amar é monótono, ja virou moda, eu não gosto da moda, eu gosto do novo, eu gosto de você! Desejo você toda noite em minha cama, desejo ter você, me deseje como o Romeu desejou a Julieta. Deseje ter o que é seu por direito.

sábado, 3 de julho de 2010

Frascos e comprimidos.

Apenas um frasco que não tem mais nada dentro, apenas mais um em um zilhão atrás de um amor perfeito, o que vai tirar seu sono, seu comôdo, apenas mais um viciado em você mesmo, apenas eu, pensando em você.
Apenas um frasco que não tem mais comprimidos dentro. Apenas eu em busca dele.

Pra nós dois.


Se eu tivesse que te dizer apenas uma palavra, seria: obrigada. os motivos, você sabe. você sabe o que foi, o que é, e sempre será, e sempre representará pra mim, eu sei disso. E além disso, uma frase: eu te amo, e estarei sempre aqui. eu tentei, mas sentimentos como esse não se descrevem. a gente conta uma parte, outra é subentendida, e a outra, a gente esconde.

Coisas mais concretas, coisas mais reais.

Hoje o que me vêem a cabeça, cansei de coisas sem sentido, coisas que não me levem ao verdadeiro comprometimento do meu eu.

Hoje me vêem a cabeça, meu chão firme de pisar, meu céu que sempre estará ali, às vezes nublado, às vezes com o sol radiante, não importa como, mais de algum jeito ele estará ali, eu queria que me viesse à cabeça você, você não veio, quando eu pensei foi tão rápido que eu nem pensei, foi tão rápido que eu não percebi que você estava aqui, passou, como tudo passa, como o tempo passa, você passou, e não voltou, no momento em que eu saí correndo, e bati a porta, eu esperava que você viesse atrás de mim, mais você não veio, eu também não voltei, eu bati a porta, peguei o elevador, e você não apareceu então eu segui meu caminho, e nunca mais olhei pra trás, Ah... Se você viesse atrás de mim, tantas coisas seriam diferentes, eu não teria feito tudo que fiz, em compensação não teria sofrido o tanto que sofri, você talvez não tivesse ai onde estás, talvez não virássemos "amigos", viraríamos sim namorados, mas pra que lembrar agora do que não aconteceu? Você pegou seu avião, eu fui lá me despedir, mexeu tanto comigo quando você passou no portão de embarque. Passou um filme, ou melhor, o nosso filme, tudo como deveriam acontecer, nossos planos, nossas historias, nossas risadas, nossos choros, nossos momentos de briga, até disso eu tenho saudade, você pegou seu caminho, foi embora, e o que deixou pra mim? Angústias, sofrimentos, saudades. Você, claro que você arranjou outro alguém, e nunca vai passar o que passou comigo, eu fui/sou/serei essencial pra você, mas chores o que chorei. Uma pessoa muito especial me disse há poucos dias, uma coisa, "se você não sofrer, e por que não foi especial”, mas não foram especiais, foi essencial. Pare, pense em mim, mais não como mais um, é sim como ''o um''.

Eu te amoseu pra sempre seu.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Cidadãos, não cliente.

Nós estamos a assistir ao que chamaria de morte do cidadão e, no seu lugar, o que temos, e cada vez mais, é o cliente. Agora já ninguém te pergunta o que pensas, agora perguntam-te que marca de carro, de roupa, de gravata tens, quanto ganhas…

sexta-feira, 7 de maio de 2010

O beijos mais quentes.



Dos nossos planos é que tenho mais saudade, quando olhávamos juntos na mesma direção... aonde está você agora, além de aqui, dentro de mim?...”

Tranquilamente eu posso ser consciente e sentir saudade ao mesmo tempo. Eu sou humano. Fecho os olhos, tudo me emociona, tudo me faz lembrar você. Nossos sonhos, seu abraço, minhas gargalhadas exageradas, seu toque, meu excesso de carência e seu carinho imenso e intenso, que me supria.

Guardei no coração todos os momentos. Todas as palavras, as juras de amor, que não passaram de “palavras apenas, palavras pequenas, palavras ao vento”... lembra? Eu pedi tanto para que não fosse assim... e foi!

Hoje, vivemos uma nova etapa em nossas vidas. Nós mudamos, eu mudei. Sua casa dentro do meu coração continua firme e forte. Concreta. Tudo bem, eu admito. Eu a transferi para outro condomínio... mas posso te contar um segredo? Não é o que moram os meus amigos não...

Dentro de mim existe uma vírgula, uma história inacabada. Dentro de mim existem interrogações expressivas, um desejo pleno, uma esperança fatal, mortal.

Posso te agradecer? Por cada suspiro, por cada sorriso, por cada gesto de confiança, por cada minuto ao seu lado, por cada “palavra de um futuro bom”, por cada ensinamento, por me amar intensamente, por me deixar te amar tão verdadeiramente. Obrigada pela sua amizade, pelo seu mau-humor que eu adoro, por esse jeito de dono da razão e da história.

Sr. Incógnita, existe algo escondido, por trás dos panos, da pele, da mente, do coração, um sentimento que eu desconheço. Descubra. Desperte-o.Eu sinto saudade. De verdade. Mas eu aprendi a viver comigo, a ser feliz. Hoje seria diferente, eu seria meu maior admirador, eu seria meu maior e melhor amigo, minha mais verdadeira paixão.

Sim, existiu. Não, não acabou. Mas está por um triz....seu condomínio é o intermediário. E ontem, eu senti saudade.

Sei que faço isso pra esquecer, eu deixo a onda me acertar. E o vento vai levando tudo embora...
(Trechos de Vento no Litoral – Legião Urbana)